25 de outubro de 2021

IMPRENSA PRETA

COMUNICAÇÃO DIVERSIDADE E INFORMAÇÃO

Medicamentos que combatem o câncer

DOAÇÃOSegundo IPEN, a partir de segunda-feira, a fabricação destes medicamentos poderá ser suspensa

 

No dia  16 de Setembro, a Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp) de todo o país fez contato com os Ministérios da Saúde e da Economia para buscar soluções diante da possibilidade de o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), suspender a fabricação de remédios contra o câncer por problemas financeiros,  para a compra e contratações. A interrupção na compra dos insumos começou já na segunda-feira, dia 20. 

O Ipen é responsável pela  importação de radioisótopos da  África do Sul, Holanda e Rússia assim como da compra no território nacional de insumos para  produzir radioisótopos e radiofármacos. Além de utilizados para estudo e diagnóstico, os radioisótopos  também são usados para o tratamento de diversas doenças, incluindo o câncer, bem como na radioterapia e diagnósticos por imagem. 

De acordo com especialistas no tratamento de câncer, aproximadamente 2 milhões de brasileiros serão prejudicados com a interrupção dos tratamentos em todo o país. 

Para o Jornal O Estado de S. Paulo (Estadão), o órgão notificou que devido ao cenário desafiador da pandemia o mesmo está fazendo todos os esforços para manter a produção dos medicamentos contra o câncer.  Ainda segundo o Ipen , o instituto tem plena consciência dos problemas que a falta destes medicamentos provocam na vida dos pacientes e de seus familiares.

A possível interrupção na compra desses insumos não diz respeito apenas aos pacientes com câncer e seus familiares, mas a toda a população que deve se valer de suas obrigações enquanto cidadãos, para garantir dignidade e atendimento de saúde adequado para todos os brasileiros.