16 de setembro de 2021

IMPRENSA PRETA

COMUNICAÇÃO DIVERSIDADE E INFORMAÇÃO

SUS libera vacina pneumocócica -13 para a população de risco Até 31 de Agosto a vacina estará disponível na rede pública de saúde.

Temporariamente disponível no Sistema Único de Saúde, a Vacina Pneumocócica Conjugada-13 Valente (VPC 13) da Pfizer, está disponível na rede pública para pessoas com asma persistente ou moderada, diabetes, fibrose cística, Trissomias (Síndrome de Down), doenças neurológicas crônicas como Alzheimer, distrofia muscular e esclerose múltipla, fístula liquórica e derivação ventrículo-peritoneal (DPV), imunodeficiências congênitas, nefropatias crônicas e síndrome nefrótica.  A vacina foi disponibilizada pelo SUS porque muitas pessoas do grupo de risco, devido à pandemia, não tomaram a dose da mesma que, se não utilizada, perderá a validade. 

Para o pneumologista, Mauro Gomes, a ampliação destes grupos para receber a vacina é uma atitude inteligente do Ministério da Saúde. “Há um número grande de vacinas paradas e, que se não forem usadas, irão vencer.”

Em janeiro, deste ano o Programa Nacional de Imunizações (PNI) ampliou a indicação para portadores de imunodepressão por doença de base e ou terapêutica, asplenia anatômica ou funcional, pneumopatias, cardiopatias e implante coclear.

Para tomar a vacina de dose única, é necessária a prescrição médica indicando que a pessoa faz parte do grupo de risco.  Informando que a VPC13 não é aplicada nos postos de saúde, somente em Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie). Nos casos em que o município não possua o Crie, o médico deverá solicitar ao Crie Estadual que enviará então, a dose para um posto de saúde ao paciente.

Os Cries, disponibilizam a VPC13 para crianças portadoras de condições especiais, enquanto que as demais, recebem o imunizante na rede privada ou a VPC10 nos postos de saúde. 

O pneumologista Mauro Gomes, alerta que a vacina pneumocócica não protege contra o coronavírus, podendo ser tomada 15 dias antes ou 15 após a vacina contra a Convid.

Crianças entre 1 e 2 anos que não fazem parte do grupo de risco precisam tomar as duas doses do imunizante com intervalo de dois meses. Já as crianças com idade entre 2 e 5 anos recebem apenas uma dose.