A incrível arte de se adaptar

13 de julho de 2021

Mesmo que você jure que não, você mudou sim!

Por Carlos Augusto Rodrigues

Com este cenário que vivemos, muito se diz que ao acabar, vamos sair diferentes. Outros, mais céticos, dizem que nada vai mudar. Mas a verdade é: nós vamos sair e estamos diferentes.

E para aquele que alega fielmente que nada vai mudar, talvez ainda não se deu conta que já aceitou e se adaptou a algumas situações. Quer ver? Vamos realizar uma simulação. Ao procurar por uma oportunidade de emprego, ao ser questionado pelo selecionador:

Qual o projeto que realizou com sucesso?

Responda simplesmente – ficar em casa.

Parece loucura né? Mas é a mais pura verdade. Olha o que você aprendeu ficando em casa:

Habilidade de relacionamento: se relacionou de formas diferentes com o seu parceiro(a), ouviu, foi ouvido, discutiu, redescobriu;

Habilidades técnicas: não minta, você fez e postou aquela foto daquele pão que ficou delicioso;

Treinamento: se tem filhos – e olha uma galerinha também que se adaptou rápido – ensinou e foi ensinado (está vendo agora a importância dos professores na nossa vida), fez diversos cursos – os atrasados, aqueles que queria, que não queria – e online. Não precisa dizer que não gostava disso antes;

Oratória e tecnologia: virou um apresentador nato, fez reuniões, achando um canto da casa para trabalhar, mexeu com microfones câmeras e afins;

Autoconhecimento: você surtou, não minta. Do ficar quieto a gritar (e está tudo bem), você teve que lidar com este seu lado que não estava acostumado(a).

Está vendo quanta coisa boa para falar na entrevista?

Não tem jeito, você aprendeu a fazer coisas novas, se valorizou, foi criativo de alguma forma, ou seja, se adaptou a uma situação. Na realidade, estamos sempre fazendo isso, mas com este novo tempo, ficou mais latente. Então, comemore as pequenas e grandes conquistas.

Vemos muitas lives , discussões e estudos do novo normal. Se descobriu muita coisa. As relações mudaram, as formas de trabalho, entretenimento e cultura estão mudando. Pode parecer assustador, mas não tenha medo. É uma mudança de era. E vamos (porque também estou incluído nessa) fazer aquilo que fazemos muito bem: se adaptar com sucesso.

E vai chegar um tempo – e não vai demorar muito – que vamos olhar para tudo isso e dizer: poxa olha só, sofremos tanto e agora estamos melhores. E vamos comemorar!