OMS destina 649 milhões em auxílio à saúde mental

13 de outubro de 2020

Segundo Secretário, de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, Hélio Angotti Neto, vem aí 4ª onda da pandemia

Anunciado nesta quarta-feira, 23, pelo secretário, Hélio Angotti Neto, de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, a liberação de 649 milhões de reais para cuidar da saúde mental dos brasileiros nesta que está sendo chamada de quarta onda da pandemia. 

Os recursos serão repassados aos municípios que deverão tratar a saúde mental de seus munícipes.  Depressão, ansiedade, transtorno bipolar, estresse e insônia são alguns dos sintomas do adoecimento mental provocados pela covid 19.  “Estamos ajudando os municípios na compra dos medicamentos para o enfrentamento de todos estes problemas de saúde mental”, disse Hélio Angotti Neto.

Durante a pandemia, centenas de pessoas perderam suas fontes de renda e muitas delas eram responsáveis pelo sustento de seus lares; com o isolamento social necessário no combate à doença ficaram em casa e, devido às incertezas e estresse vividos, acabam adoecendo.  

Apesar da capacidade humana de adaptação, as mudanças e o aparecimento de tanta dificuldade em pouco tempo acabam gerando uma sobrecarga de estresse que provoca uma série de enfermidades mentais nas pessoas. Nesta situação, encontram-se pessoas de todas as idades: crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos; todos tiveram suas vidas alteradas radicalmente por conta do coronavírus. 

 Em Maio deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS), já alertava líderes mundiais e profissionais de saúde quanto aos cuidados com a saúde mental da população em todos os países.  

“A saúde mental e o bem-estar de sociedades inteiras foram severamente afetados por essa crise e são uma prioridade que deve ser tratada com urgência”. “É provável que haja um aumento duradouro no número e na gravidade dos problemas de saúde mental”, informava o documento.