Pular para a barra de ferramentas

35 anos de Hemocentro – Pró sangue

Ana Paula Mendes
Read Time5 Minute, 3 Second

Hemocentro, criado para organizar doações de sangue e, conter avanço do HIV.  

Criado na década de 1980, como parte do Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados – PRÓ SANGUE, do Ministério da Saúde, o Hemocentro da Unicamp tinha como duas das principais metas, organizar a rede pública nacional de hemocentros e servir como ferramenta para conter o avanço do HIV por transfusão. Passados os anos, pouco se ouve falar do HIV que contaminou centenas de pessoas, principalmente pelo compartilhamento de seringas durante o uso de drogas, práticas sexuais e ainda outras, pela transfusão de sangue. 

Neste momento, o Hemocentro surge como uma forma de frear a contaminação nos procedimentos de transfusão, oferecendo diagnósticos aos doadores. Além disso, passou a estruturar os bancos de sangue da rede pública nacional e ainda hoje, existem pessoas que não sabem da importância da doação de sangue.

Esta organização alimenta os estoques de 99% dos hospitais públicos da macrorregião de Campinas (60 serviços de 41 municípios, 6.785,317 habitantes) e quando necessário, também abastece os estoques dos serviços privados da região.   

Para atender e organizar a demanda, as coletas são realizadas em 37 cidades da região tendo como guia a necessidade de cada uma delas.

As doações de sangue também foram afetadas neste período de pandemia e, apesar da queda os estoques do Hemocentro estão estáveis como afirma o analista executivo, Eduardo Baungartner.  “Tivemos uma queda de 15%, porém, como diminuiu a solicitação de insumos “sangue” para as cirurgias, estamos dentro do esperado e a população se mostra muito solidária neste momento”.

O analista lembrou que muitas pessoas não têm conhecimento da necessidade de sangue para os hospitais na realização das cirurgias de urgência bem como nas eletivas, ou seja, nas cirurgias agendadas.  “Geralmente, o trabalho de conscientização é muito importante para que este assunto chegue até essas pessoas, e conseguimos desta forma ser “notados” para que posteriormente esse indivíduo que foi abordado e conheceu o processo de doação de sangue traga outras pessoas de seu convívio”.

A veiculação de campanhas para doação de sangue em emissoras de TV, rádio, jornais e revistas são algumas das maneiras de tornar o Hemocentro e a importância da doação conhecidos a um número cada vez maior de pessoas. 

A segurança dos doadores foi ainda mais reforçada neste período.  “O hemocentro está tomando todas as precauções e recomendações dadas pelas autoridades da Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir a segurança dos profissionais bem como dos doadores” ressaltou, Eduardo Baumgartner. 

Tendo em vista a garantia da segurança de seus colaboradores, pacientes e da sociedade atendida, bem como a prevenção da disseminação do SARS-CoV-2 (Coronavírus) o Hemocentro/Unicamp adotou as seguintes medidas como estratégia para a equipe de atendimento ao doador: 

1º) Readequação do fluxo de acesso a instituição hemocentro, onde, separamos doadores de paciente, com placas indicativas e orientação às equipes da portaria.

2º) Aumento das vagas de estacionamento disponíveis aos doadores de sangue na entrada principal da instituição, facilitando o acesso e garantindo a comodidade dos nossos doadores.

3º) Manutenção das coletas externas de doadores de Sangue, inclusão de um sistema de agendamento dos doadores em nossos postos fixos.

4°) Manutenção da campanha de estímulo à doação de sangue em todas as unidades, reforçando a necessidade de cadastramento de doadores de medula óssea.

5°) Adequação das unidades para realização de acolhimento inicial do doador de sangue em ambiente externo e aberto com questionamento sobre presença de febre ou sintomas respiratórios nos últimos 14 dias, caso positivo doador é dispensado imediatamente e orientado a procurar serviço de atenção básica se manutenção de sintomas, conforme recomendação das autoridades sanitárias.

6º) Profissionais de saúde que vierem para doação que tenham tido contato com pacientes com febre ou sintomas gripais nos últimos 14 dias também serão orientados a retornar após 14 dias do último contato com indivíduos nessa situação. Profissionais de saúde que tiverem contato com suspeitos de portadores de COVID-19.

7°) Solicitação aos candidatos à doação que realizem a antissepsia das mãos com álcool gel, conforme orientações descritas no folder, em cada etapa do processo, sendo:  na recepção (álcool gel), na pré-triagem (lavagem de mãos com água e sabão e/ou aplicação de álcool gel) e na sala de coleta (álcool gel).

8º) O profissional de acolhimento orienta a todos os doadores a necessidade do não manuseio/uso do equipamento celular além de controlar o acesso no ambiente de coleta, além de restringir a entrada dos acompanhantes dos doadores com intuito de evitar aglomerações.

9º) Organização de ambiente externo (aberto/arejado) para permanência de doadores que aguardam serem chamados para o início do fluxo de atendimento no processo de doação.

10º) Sinalização das cadeiras na sala de espera com distanciamento entre elas de no mínimo 1 metro, conforme recomendação sanitária.

11º) Retiramos a senha de acrílico e implantamos a senha de papel (descartáveis) que são entregues no acolhimento.

12°) Realização da desinfecção de superfícies de toque frequente com quaternário de amônio ou álcool 70%.

Condições básicas para doação de sangue : Ter entre 16 e 69 anos de idade (menor de 18 anos deve apresentar o formulário de autorização) 

Pesar mais de 51 quilos e ter índice de massa corpórea (IMC) maior ou igual a 18,5.

Apresentar documento de identificação oficial com foto. Dormir pelo menos seis horas na noite anterior à doação.

Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação.

Não fumar duas horas antes da doação.

Evitar alimentos gordurosos por menos três horas antes da doação.

Estar bem alimentado e hidratado.

Mulheres podem doar até três vezes ao ano, com intervalo de 90 dias. Já os homens podem doar quatro vezes, com intervalo mínimo de 60 dias entre as doações.

O hemocentro está tomando todas as precauções e recomendações das autoridades da “organização mundial de saúde” para garantir a segurança de nossos profissionais e doadores.

visando garantir a segurança dos colaboradores, pacientes e da comunidade assistida pelo Hemocentro/Unicamp, tendo em vista a prevenção da disseminação do SARS-COV-2 (Coronavírus), as seguintes medidas foram adotadas como estratégia pela equipe de atendimento ao doador:

0 0

About Post Author

Ana Paula Mendes

Ana Paula Mendes é Jornalista e Fotografa Profissional
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

“THE FUTURES”

Canto Soul – Discoteca Básica , Histórias e Lendas por Walmir Bortoletto The Futures foi um quinteto vocal que não conseguiu se firmar na indústria fonográfica Americana. O grupo se formou no final dos anos 60 na cidade de Filadélfia , mas teve dificuldades com Gravadoras. Depois de alguns compactos veio o […]

Subscribe US Now