Pular para a barra de ferramentas
comunidade negra Noticias 

FRENTE PRETA POR CAMPINAS

1 0
Read Time2 Minute, 53 Second

Nota de Repúdio da Frente Preta de Campinas

Declaramos em alto e bom tom que a comissão organizadora da FRENTE PRETA POR CAMPINAS e as lideranças políticas das periferias da cidade de Campinas repudiam veementemente a publicação de uma enquete veiculada no canal “Esperança Brasil” em sua página oficial do Facebook no último dia 17 de julho. Na publicação em questão, priorizaram o patriarcado heteronormativo e não incluíram o nome e nem a imagem da pré-candidata a prefeita pelo PCdoB Dra. Alessandra Ribeiro, uma mulher negra que tem uma história integra, uma vida pública sem nenhuma mácula e com uma alta capacidade política e intelectual para disputar em pé de igualdade a prefeitura da cidade de Campinas.

O Brasil é um dos poucos países no mundo cujas relações étnico-sociais foram fatores fundantes nas relações de poder político, econômico e cultural. Com bases fortalecidas no patriarcado euro normativo que alicerçaram os seus privilégios, a elite branca foi acostumada a ditar algumas “regras do jogo político” e continua fazendo uso dos seus privilégios para desconsiderar e até mesmo invisibilizar importantes lideranças políticas que não fazem parte do “panteão dos notáveis” que, em via de regras, sempre estiveram nos espaços de poder e decisão política em todo o país. No que diz respeito a falta de ética e bom senso, é importante destacar nesse manifesto a incapacidade dessa elite no tocante ao alinhamento entre teoria e prática sobretudo quando falamos em DEMOCRACIA e Estado de direito na cidade de Campinas.

Se a democracia é um regime político em que todos os cidadãos elegíveis participam igualmente – diretamente ou através de representantes eleitos – na proposta, no desenvolvimento e na criação de leis, ela abrange as condições sociais, econômicas e culturais que permitem o exercício livre e igual da autodeterminação política.

O sistema democrático contrasta com outras formas de governo em que o poder é detido por uma pessoa – como em uma monarquia absoluta – ou em que o poder é mantido por um pequeno número de indivíduos – como em uma oligarquia. No entanto, essas oposições, herdadas da filosofia grega, são agora ambíguas porque os governos contemporâneos têm misturado elementos democráticos, oligárquicos e monárquicos em seus sistemas políticos. Karl Popper definiu a democracia em contraste com ditadura ou tirania, privilegiando, assim, oportunidades para as pessoas de controlar seus líderes e de tirá-los do cargo sem a necessidade de uma revolução. 

Campinas possui uma dívida histórica com a população negra da cidade, do estado e de todo país, como última a abolir o processo escravocrata e quando observamos a estrutura política da cidade de Campinas, fica evidente que as oligarquias detentoras do poder político acostumadas à hereditariedade desse poder ignorá com veemência a possibilidade de outras lideranças ocuparem esse espaço e estabelecer uma mudança nas “regras do jogo político” criando mais oportunidades e equidade de direitos para o conjunto da população com um olhar atencioso para as regiões periféricas da nossa cidade.

A comissão organizadora da FRENTE PRETA POR CAMPINAS e as lideranças políticas das periferias da cidade exigem retratação imediata bem como a inclusão, de forma democrática, do nome da pré-candidata à prefeitura de Campinas Dra. Alessandra Ribeiro e dos demais nomes de pré-candidatas e pré-candidatos pretos que estejam lançando seus projetos políticos para contribuir com consolidação da democracia e da diversidade de raça e gênero nos espaços de poder executivo e legislativo da cidade de Campinas.

Campinas, 21 de julho de 2020

FRENTE PRETA POR CAMPINAS

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Related posts

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Leave a Comment