Pular para a barra de ferramentas

Eu sou o Samba

Eddie Junior
Read Time4 Minute, 24 Second
Batuque, J.M, Rugendas, retratando pessoas escravizadas cantando e dançando em roda

Uma das maiores contribuição para a cultura brasileira o Samba, não se define apenas como substantivo masculino flexão do verbo sambar na 3ª pessoa do singular do presente do indicativo, e 2ª pessoa do singular do imperativo afirmativo , pois vai muito além do que possa imaginar.

Na música de José Flores de Jesus o Zé Keti (1921/1999)composta em 1952  , A Voz do Morro deixa bem claro que além de melodia o samba é uma exaltação mais muito além de tudo é uma das formas de protestar e reivindicar de um povo ;

Eu sou o samba

A voz do morro sou eu mesmo sim senhor

Quero mostrar ao mundo que tenho valor

Eu sou o rei dos terreiros ……

Sua origem é um gênero musical e dança que está ligada aos batuques trazidos pelos pretos escravizados no tempo do Brasil colônia sua derivação tem influência africana que surgiu na Bahia com o samba de roda que por sua vez se assemelha ao coco, dança de roda mais antiga que surgiu na então Capitania de Pernambuco, resultante da mistura de estruturas musicais  européias e africanas e dos bailados indígenas o Samba como expressão cultural urbana surgiu no início do século XX, (século 20) no Rio de Janeiro nas casas das chamadas “tias Baianas” que eram migrantes da Bahia que sendo samba de roda mais com contato com gêneros como a polca, o maxixe, o lundu e o xote faz nascer um gênero totalmente singular e próprio.   

Em 1916 a composição “Pelo Telefone” , de autoria de Ernesto dos Santos, o Donga (1890-1974), e Mauro de Almeida (1882-1956) se torna um marco da História da Cultura Brasileira , já no ano de 1930 começa a ser propagado como símbolo da identidade nacional brasileira , tocado em rádios e cantado nos morros , associado ao carnaval surgem compositores diversos ; Hilário Jovino Ferreira, Heitor dos Prazeres, João da Baiana, Pixinguinha , Donga e Sinhô , todos com uma característica de amaxixados ou seja sambas-maxixe.  

Sua evolução ganharia força apenas no final de 1920 com a chegada de um grupo de compositores dos blocos carnavalescos dos bairros do Estácio de Sá e de Osvaldo Cruz e dos morros da cidade como Mangueira , Salgueiro e São Carlos. Os contornos desse samba são reconhecidos como genuínos ou samba raiz. 

Com o crescimento e sua expansão pelo território brasileiro ganhando espaço em todas as rádios do país e fora dele , o Samba é alvo de preconceito e criminalização por suas origens negras e oriundas dos morros que abrigavam seus compositores e criadores.

Mas já era tarde para ser impedido , o Samba chega a Hollywood  e a Casa Branca do Presidente Franklin Delano Roosevelt ,através de Maria do Carmo Miranda da Cunha ou melhor Carmem Miranda e do Bando da Lua.

Para se ter uma ideia segundo o Departamento do Tesouro Americano , a Pequena Notável chegou a ser a mulher mais bem paga dos Estados Unidos da América.

Toda a História do Samba remete e pode ser contada e é vista através dos feitos da figura da mulher Negra assim como a História do povo negro no Brasil , o Samba veio do suor e da cultura do batuque dos negros escravizados, foi levado por migrantes nordestinos oriundos da Guerra de Canudos para as favelas cariocas, e nasceu , cresceu e se tornou grande nas favelas baianas onde mulheres negras como Tia Amélia(Mãe de Donga),Tia Bebiana,Tia Mônica (mãe de Pendengo e Carmem Xibuca),Tia Prisciliana(mãe de João da Baiana), Tia Rosa Olé, Tia Sadata , Tia Veridiana(mãe de Chico da Baiana) , e Hilária Batista de Almeida – a Tia Ciata conseguiram em suas casas potencializar esse gênero que nos dias atuais é considerado patrimônio da humanidade pela Unesco.O samba-de-roda do Recôncavo Baiano, que mais tarde gestaria o Samba…..

Esse é apenas um breve relato do início da História do Samba , pois precisaríamos fazer uma grande abordagem do samba e do seu desenvolvimento regional , como em São Paulo a terra da garoa e dos demais estados e até mesmo do samba rural , mais isso já é uma outra História do Samba.

Como fonte de pesquisa você pode aumentar seu conhecimento lendo e conhecendo, Tia Ciata mulher negra que foi uma das responsáveis pela sedimentação do samba carioca.

Como consulta de pesquisa e leitura –  Wikipedia 

Para ouvir as gravações originais , você pode consultar o Acervo de Música e Arquivo Sonoro da Biblioteca Nacional

O moderno e urbano samba

Primeira geração: Donga, Sinhô e cia

Ver artigos principais: Pelo Telefone e Partido-Alto

Pelo Telefone“Pelo Telefone” é considerado o primeiro samba a ser gravado no Brasil. 

Primeira LinhaComposição de Heitor dos Prazeres. Gravação de 1930 por Benedito Lacerda e grupo Gente do Morro.

Samba de fato

Segunda Geração: Turma do Estácio e sambistas do morro

Ver artigo principal: Turma do Estácio

Morro da Mangueira: reduto de sambistas como Cartola e Nelson Cavaquinho.

Na PavunaGravação de 1929 por Almirante (samba composto por Homero Dornelas). Sucesso no carnaval de 1930.

O que será de mimGravação de 1931 por Francisco Alves e Mário Reis (samba composto por Ismael Silva, Nilson Bastos e Francisco Alves)).

Uva de caminhãoComposto por Assis Valente. Gravação de 1939 por Carmem Miranda.

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Marianna Crioula

“Morrer sim, se entregar jamais!” Foi uma mulher negra costureira, escravizada que viveu nas terras cariocas, mucama que fazia companhia a Francisca Xavier, apoiadora do sistema escravocrata e senhora das fazendas cafeeiras Maravilha e Freguesia, parte do distrito da Vila de Vassouras, região do Vale do Paraíba, no Rio de […]

Subscribe US Now