Pular para a barra de ferramentas

#EmCasacomSesc

Eddie Junior
Read Time6 Minute, 8 Second
Thaíde

O Sesc São Paulo segue sua interação com o público através da série #EmCasaComSesc.

Com visualizações passando de 2 milhões aproximadamente o Sesc , mesmo fechado continua sua interação com o seu público fiel durante a quarentena em tempos de pandemia da covid-19.

O projeto #EmCasaComSesc através do formato digital leva ao público uma programação diversificada de cultura para todos os gostos.

Pra quem gosta de música a série sempre vai ao ar às 19hs e traz novos nomes da música popular e instrumental brasileira, já os apreciadores de teatro agora na internet o horário é  às 21h30 e ainda na série Ideias sempre às 16hs. 

Música

Um show diferente por dia, todos os dias, às 19h. Desde o dia 19 de abril, o Sesc São Paulo vem oferecendo um show diferente por dia, todos os dias às 19h, ao vivo e direto da casa do artista. A programação foi pensada a todos que apreciam a boa música brasileira, em tempos de isolamento social por conta do novo coronavírus e que levou ao fechamento das unidades em todo o Estado para evitar a disseminação da Covid-19.

A série Música também tem sido uma oportunidade para promover o Mesa Brasil, programa que conecta empresas doadoras e instituições sociais para o complemento de refeições de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Criado há 25 anos pelo Sesc São Paulo e hoje em operação em diversos estados do país, a iniciativa está com uma campanha para expandir sua rede de parceiros doadores e ampliar a distribuição de alimentos, produtos de higiene e limpeza em meio à crise causada pelo novo coronavírus. Também engajados pela causa, os artistas têm aproveitado as transmissões on-line para convocar as pessoas, principalmente empresários e gestores, a integrarem a rede de solidariedade. Para saber como ser um doador, acesse o site mesabrasil.sescsp.org.br.

Teatro

Lançada em 15 de maio, às transmissões teatrais (sempre às 21h30) acontecem com reconhecidos nomes das artes cênicas no país em espetáculos apresentados direto das casas dos artistas, todas às segundas, quartas, sextas e domingos. Acompanhe através do youtube.com/sescsp e instagram.com/sescaovivo. Até aqui, o Teatro #EmCasaComSesc apresentou cinco espetáculos a uma audiência somada que ultrapassa 14 mil visualizações. Já passaram pela série os atores Celso Frateschi, interpretando, de sua autoria, Diana, Georgette Fadel em Terror e Miséria no Terceiro Milênio, de Bertolt Brecht, Sérgio Mamberti em Plínio Marcos, Um Homem do Caminho, Ester Laccava com Ossada, Jé Oliveira em Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustancia de Meninos e Homens e Gustavo Gasparani encenando Reconstruindo Ricardo III.

Ideias

Inaugurada no dia 13 de maio, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), busca incentivar o debate e a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos. As transmissões acontecem sempre às 16h, pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, e ficam disponíveis para acesso posterior. Em uma conferência virtual, o público pode interagir com debatedores e mediador por meio de perguntas e comentários. Um diálogo entre articuladores sociais ativos, como gestores, pesquisadores, pensadores, atores, médicos e profissionais de outros setores. A transmissão mantém a tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Confira a Programação desta semana; 

Dia 26 –  Terça – Feira 

16h: IDEIAS

O capitalismo se desloca: novas arquiteturas sociais

Neste debate, o economista Ladislau Dowbor propõe analisar um conjunto de mudanças do capitalismo que sugere que estamos em transição para outro modo de produção, deixando para trás a chamada era industrial e inaugurando algo novo. Professor titular de pós-graduação da PUC-SP, Ladislau Dowbor apresentará seu novo livro “O capitalismo se desloca: novas arquiteturas sociais”, em fase de impressão pelas Edições Sesc, com a participação de Antônio Martins, jornalista e editor do site Outras Palavras.

Participante: Ladislau Dowbor – economista e professor da PUC-SP. Autor de mais de 40 livros.

Mediação: Antônio Martins – jornalista e editor do site Outras Palavras. Participou da criação do Fórum Social Mundial.

19h: MÚSICA

Mariana Aydar apresenta músicas de toda sua carreira, incluindo sucessos, o lado B, músicas de seu último trabalho, Veia Nordestina, e versões de composições de outros artistas que sempre fizeram parte de seu repertório. Com cinco discos e prestes a completar 15 anos de trajetória, a cantora tem no forró a sua influência musical mais marcante, adicionando ao seu som aspectos de sofisticação e contemporaneidade.

Mariana Aydar

Dia 27 – Quarta – Feira 

16h: IDEIAS

Projetos sociais de esporte para todos: desafios de hoje e perspectivas para o futuro

No Dia do Desafio, acontecerá na série Ideias o debate “Projetos sociais de esporte para todos: desafios de hoje e perspectivas para o futuro” com Serginho, Magic Paula e Vladir Lemos. Além de evidenciar a importância do esporte e atividade física para qualidade de vida, educação e lazer, o debate proporcionará a discussão de cenários de projetos sociais esportivos, articulação de redes e os impactos do isolamento social neste contexto.

Participantes: Serginho – dirige o Instituto Serginho 10. Magic Paula – atua à frente do Instituto Passe de Mágica.

Mediação: Vladir Lemos – jornalista da TV Cultura.

19h: MÚSICA

Lula Barbosa faz uma retrospectiva de seus mais de 30 anos de estrada e mais de 20 discos gravados. No repertório, estão composições próprias, como “Desejos e Delírios” e “História de Amor”, além de canções de grandes nomes da música brasileira, como Dori Caymmi, Paulinho Nogueira, Milton Nascimento, Chico Buarque e Noel Rosa.

Lula Barbosa

21h30: TEATRO

A atriz, dramaturga e diretora Grace Passô apresenta Frequência 20.20. O monólogo performático reúne trechos de três peças teatrais criadas pela artista antes da pandemia: Preto, Mata Teu Pai e Por Elise. Os textos são de Grace, sendo Preto com coautoria de Márcio Abreu e Nadja Naira. A trilha sonora é de Mahal Pita. Classificação indicativa 16 anos.

Grace Passô

Dia 28 – Quinta-Feira

16h: IDEIAS

Memória e Resistência

Este encontro visa discutir a memória como ferramenta de resistência cultural e política frente à fragilização das instituições democráticas. Da composição de mitologias políticas às tentativas de desconstrução de narrativas de movimentos e lutas populares, Vladimir Sacchetta e Lira Neto pretendem discutir a importância do discurso histórico para uma melhor compreensão do cenário atual.

Participantes: Vladimir Sacchetta – formado em Direito (USP) e Jornalismo pela Cásper Líbero, atua no campo da memória brasileira desde o final dos anos 1970, quando chefiou na Abril Cultural a pesquisa de Nosso Século. Colaborou com o escritor Fernando Morais no livro Olga e foi responsável pelas imagens da coleção de Elio Gaspari sobre a ditadura militar. Lira Neto – jornalista e escritor. Ganhou o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) e quatro vezes o Prêmio Jabuti de Literatura. Doutorando em História na Universidade do Porto, em Portugal. É Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Graduado em jornalismo pela Universidade Federal do Ceará. Ex-colunista dos jornais Folha de S. Paulo e Brasil Econômico.

19h: MÚSICA

O Rap nacional se faz presente na voz de Thaíde, um dos precursores da cultura Hip-Hop no Brasil. No #EmCasaComSesc, o rapper comemora 35 anos de carreira, relembrando alguns clássicos da antiga dupla Thaíde & DJ Hum, como “Afro Brasileiro”, “Apresento meu amigo”, “A Noite” e “Senhor tempo bom”, além das músicas dos discos: Thaíde Apenas e #VQVQOSNPP (sigla para sua célebre frase, “vamo que vamo que o som não pode parar”).

Thaíde

 

1 0
Happy
Happy
100 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Aqualtune - O espírito guerreiro guiando os caminhos de Palmares

No final do século XVI o Reino do Congo passava por grandes conflitos entres as comunidades negras existentes de Angola e do Congo, guerras estas financiadas pelos colonizadores portugueses. Não é de hoje que a branquitude utiliza-se da estratégia de colocar ou aproveitar-se de disputas entre o povo preto para […]

Subscribe US Now