Pular para a barra de ferramentas

OURO NEGRO – MEU ÍDOLO

Read Time4 Minute, 3 Second
Moacir Santos

O título é verdade não é nenhuma frase com sentido figurado, e sim, é literalmente o que está escrito, OURO NEGRO, pouco conhecido, pouco falado e pouco tocado, e até posso dizer que poucos profissionais da música conhecem, um grande erro nosso por vários motivos, mas isso não vem ao caso agora. 

Quero apresentar a vocês leitores da Imprensa Preta e a todos deste Brasil que temos heróis, ídolos, e que esses são ouro, que não fica velho e que não perde valor, ouro esse que é negro, guerreiro, brilhante e infinitamente rico, rico musicalmente e culturalmente, aclamado por outros povos, até indicado ao Grammy. Esse ouro foi professor dos aclamados Baden Powell e João Donato entre outros, e que ficamos a nos perguntar.

 Quem é este? 

Porque nunca me falaram? 

Não tenho essa resposta, mas reflexões. Esse texto por meio da Imprensa Preta vai lhe trazer caro leitor algumas informações de um cidadão brasileiro, negro, gênio e particularmente meu ídolo Moacir Santos.

Moacir Santos brasileiro, nordestino Pernambucano, sertanejo, pois nasceu em Serra Talhada, cidade no sertão de Pernambuco em 1926, órfão de mãe aos 3 anos foi criado por outra família e indo morar em Flores cidade que permaneceu até 14 anos de idade. Fugiu para o mundo por conta de maus tratos, Moacir andou e passou por vários lugares no Nordeste até chegar no Rio de Janeiro, e depois ao Estados Unidos e assim permanecendo por lá por muitos anos, até seu falecimento em Agosto de 2006.

Sua obra é riquíssima e “densa”, Moacir começou a tocar quando ainda era menino por volta de 10 anos, tendo contato com todos instrumentos da Banda Marcial da Cidade de Flores, por insistência ele participou da banda e era responsável por cuidar dos instrumentos nos intervalos, foi aí que ele despertou para música aprendendo a tocar todos os instrumentos da banda. (GOMES,2008)

No seu caminhar pelo mundo ainda jovem, começa a tocar na Banda da Polícia Militar da Paraíba, passando a tocar também na  Jazz Band da Rádio PRI-4 Tabajara chegando a ser regente, daí adiante mudou-se para o  Rio de Janeiro, lá estudou música erudita com Ernest Krenek e Hans Joachim Koellreutter ,virando posteriormente seu assistente, logo com seu prestígio e genialidade foi requisitado como arranjador de trilha sonoras de filmes e também de diversos artistas da Bossa Nova “SAMBA JAZZ”, entre eles Vinicius de Moraes, Baden Powell, Sergio Mendes e outros deste gênero musical. 

A ida para os Estado Unidos se deu devido ao filme Amor no Pacífico (1970), de Zygmunt Sulistrowski. Foi justamente esse filme que levou Moacir Santos a terra do Tio Sam pela primeira vez, para assistir a sua pré-estreia. (GOMES,2008).

Moacir gravou muitos álbuns e um dos mais evidenciado na sua carreira foi o álbum intitulado de “COISA” este álbum lançado pela gravadora Forma em 1965, e ainda hoje é muito aclamado por fãs. Sem dúvida que o nome é meio estranho, a ideia que se acredita estar explícita aqui é nomear as músicas como se faz nas músicas eruditas “Opus”

Palavras do próprio Moacir Santos no encarte do CD “OURO NEGRO”. 

Sempre tive o anseio em produzir músicas com a catalogação erudita, como por exemplo Opus 3, no 1. Quando o Baden Powell foi estudar comigo e me convidou para participar do disco com o baterista americano Jimmy Pratt,

na antiga Phillips, o engenheiro de gravação perguntou o nome da música e

eu respondi: ‘isso é uma coisa’… Aí me ocorreu a ideia de numerá-las.”

MÚSICAS:

Coisa N° 4

Coisa N° 5

Coisa N° 10

Coisa N° 3

Coisa N° 2

Coisa N° 9

Coisa N° 6

Coisa N° 7

Coisa N° 1

Coisa N° 8

Certamente fico estarrecido com o desconhecimento deste artista, pois ouvir sua genialidade é imprescindível para conhecer nossa música e nossos “ouros”.

Deixo a recomendação do seu penúltimo álbum “OURO NEGRO” e lógico seu primeiro álbum “COISAS”. O DVD Ouro Negro teve participações de vários artistas e músicos da MPB, um DVD show sensacional e com o próprio Moacir Santos dando o depoimento de sua trajetória. No repertório estão vários clássicos da sua obra, e várias “Coisas” que fazem bem aos ouvidos e a alma.

FOTO DA CAPA DO DVD E CD OURO NEGRO-2001 (CD); 2005(DVD).

Com vocês Moacir

REFERÊNCIAS:

GOMES, João Marcelo Zanoni: “Coisas” de Moacir Santos. 2008. Dissertação (Mestrado em Música) – Pós-graduação em Música, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná.

DISCOGRAFIA:

Coisa-1965

Maestro-1972

Saudades-1974

Carnival of the spirits-1975

Opus 3 N°1-1979

Ouro Negro-2001

Choros e Alegria-2005

DVD Ouro Negro-2005

SUGESTÕES LINKS:

DVD Ouro Negro 2005

Coisa 1965

0 0

About Post Author

Rodrigo Santos

Um amante da música desde de menino, influenciado pelas músicas ouvidas em sua casa com o pai e tio, desde lá foi se interessando pela musica cada vez mais, começando a se envolver com Rap se tornando Dj começou a tocar e a colecionar vinil. Foi DJ na banda Saci Crioulo entre 2001 a 2002. Atualmente continuo no bom vicio de colecionar vinil e tenho um canal no Instagram @morningwithjazz que procuro abordar um conteúdo sobre Jazz e r&b...
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

2 thoughts on “OURO NEGRO – MEU ÍDOLO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Tela Preta - Cinema e dicas de streaming

Parece que o tempo está colaborando com os amantes da sétima arte , e não poderia ser diferente afinal continuamos em quarentena e com catálogos recheados de belas surpresas. Vale a pena a pesquisa pra não ficar somente nas grandes produções e nos blockbuster, por isso deixe as sagas de […]

Subscribe US Now