Tela Preta – Cinema e dicas de streaming

14 de abril de 2020
FILME CADILLAC RECORDS

A quarentena ainda persiste e os dias estão cada vez mais longos, sei que muitos começaram de forma animadora com sessões de ginástica para manter o peso regada a um reeducação alimentar, sim mundo novo, nova vida, mas o tempo foi passando e o isolamento social físico aumentou, com isso veio a primeira pergunta de um Náufrago, como Tom Hanks conversando com o segundo protagonista do filme, Wilson, o que fazer agora? Sei que muitos resolveram abraçar as 15 temporadas de Supernatural, cada uma com 20 episódios, outros, porém correram direto para descobrir o que há de excepcional em Game of Thrones em suas 8 temporadas e 73 episódios. Pra você que não quer ficar esse tempo todo parado em frente a uma tv ou tablet e Notebook existem ainda vida em muitas produções, a Netflix lhe dá uma grande variedade de títulos, assim como: o Youtube e Google Filmes, bons títulos do cinema mundial e Nacional.  

Resolvi trazer uma experiências notável, como sugestão ao seu paladar cinematográfico, deixando bem claro, sabores apreciados com muita emoção e comoção, depois de certa idade todo mundo chora, kkk mentira, eu sempre chorei mas quem não chora?

O título é uma produção Americana, pouco conhecida no Brasil, ainda mais que é notável e pra quem ama música vai se apaixonar, estou falando de Cadillac Records, biografia musical dirigida por uma diretora, Darnell Martin, que tem oito produções em sua carreira com este, mas que desenvolveu um ótimo trabalho neste longa que foi lançado em 2008 pela Sony Pictures e conta a história da música desde do início dos anos 1940 até o final da década de 1960, concentrando-se na lendária gravadora de Blues sediada em Chicago, Chess Records do executivo Leonard Chess e de grandes nomes que gravaram por ela, tais como: Etta James, Muddy Waters, Chuck Berry, Little Walter, Howlin Wolf e o guitarrista e compositor Willie Dixon.

Um filme fantástico, sem dizer que as atuações e performances musicais dos atores rendeu ao filme vários prêmios, entre eles: o Best Traditional R&B Vocal Performance, (Grammy Award para Best Traditional R&B Vocal Performance é uma das categorias do Grammy Awards, uma cerimónia estabelecida em 1958 e originalmente denominada como Gramophone Awards, concedido para os artistas de gravação de obras de qualidade nos álbuns do gênero musical “R&B”), pela interpretação de “ At Last ” por Beyoncé, o Black Reel Award de melhor coadjuvante por Jeffrey Wright, melhor filme e melhor figurino. 

Você vai fazer uma viagem aos primórdios do Rhythm and blues com locações e atuações de primeira no elenco: Muddy Waters (Jeffrey Wright), Little Walter (Columbus Short),Chuck Berry (Mos Def), Leonard Chess (Adrien Brody), o compositor Willie Dixon (Cedric the Entertainer) e Howlin’ Wolf (Eamonn Walker) além de Etta James (Beyoncé Knowles) e Gabrielle Union como Geneva Wade.

Sem spoilers assista, vale a pena, eu chorei muito, só pra lembrar é justamente essa gravadora que a Chess Records que agora pertence à Universal Music Group e administrado pela Geffen Records, que teve o seu endereço mais famoso a 2120 S.Michigan Avenue em torno de 1956 a 1965 imortalizado pelo grupo de rock Rolling Stones como South Michigan Avenue, grupo esse aliás que também está nesse longa musical de 109 minutos de duração.    

Ele estava disponível no catálogo da Netflix mas saiu faz um mês, e como a grana está curta sugiro que você assista pela compra avulsa do Youtube com valor atual de R$ 7,90 em HD e você ainda tem a opção do Google Play Filmes, é claro que terá que baixar o aplicativo no Play Store e pagar a bagatela de R$ 5,90 o aluguel pra assistir.

Boa sessão , aproveite com moderação